quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Só para não deixar isto às moscas e voltar a estar na garras da Galinha

Como estão, suas coisinhas gordas? Bem, gordas se calhar já não porque já se passou um mês desde o Natal, mas, vá... Suas coisinhas cheiinhas?

Ultimamente como bem notaram ou não, não tenho andado a escrever nada, mas não sei bem porquê. Talvez não tivesse muito que escrever ou precisasse de um withdrawal dos blogs. De qualquer maneira, tentarei escrever mais vezes aqui. Promessas de Ano Novo (que geralmente nunca são cumpridas).

Já se passou um ano desde que entrei no Goodreads e para o desafio de leitura de 2016 tinha como objetivo ler 25 livros. Ora, li 28 livros novos no ano passado e reli 5, o que dá um total de 33 livros lidos no ano passado. Penso que é um record, mas até agora nunca contei quantos livros lia num ano.
A minha meta deste ano é de 30 livros.

Vocês que veem/gostam de A Guerra dos Tronos, provavelmente já sabem, mas se não sabem ficam a saber que a sétima temporada volta dia 25 de Junho de 2017. Faltam 5 meses.
Entretanto para comemorar os 10 anos da publicação da ASOIAF em Portugal, a Saída de Emergência vai publicar uma Caixa Comemorativa 10 Anos de A Guerra dos Tronos que estará disponível a partir de dia 3 de fevereiro. Ela custa 42,20 €, mas se comprarem no site fica a 37,98 €, o que é um ótimo preço dado o que tem lá dentro (só aquele livro, individualmente, custa 42€!) O que eu acho estúpido é que, sendo a caixa sobre a Guerra dos Tronos, porque é que ela só tem coisas da Patrulha da Noite?


Quero aquela t-shirt! E o livro também...

No ano passado comecei também a ler livros em Inglês, e agora anda a ler o calhamaço do IT.

Ah! Agora ando a receber comentários estranhos, não sei porquê.


E é isto a minha vida XD

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Conversas de Autocarro

(Não gente, não morri!)

Na semana passada ouvi uma conversa no autocarro que, embora não concordasse com ela, me deixou a pensar e cheguei a uma conclusão.

As senhoras estavam a falar acerca dos refugiados e diziam que não concordavam que eles viessem para cá porque eles tinham tudo e os sem-abrigo de cá não têm nada (só se lembram deles nestas conversas, porque se virem um, toca a fugir). Queixavam-se também de que nós, ao trabalharmos e darmos dinheiro à Segurança Social e ao Estado, é que sustentávamos os refugiados (neste caso, os que vinham/viessem para Portugal) e que eles não trabalhavam e não faziam nada e recebiam o nosso dinheiro.
Ora, o meu cérebro começou logo a funcionar e criou logo um ciclo «interminável e sem fim» (sim, ainda tenho a Maria Leal na cabeça).
Os refugiados, a maioria deles, eram pessoas com dinheiro, estudos e habilitações quando tinham uma vida estável. Eles vêm para cá e, ok, o Estado ajuda-os a arranjarem abrigo e também dá ajuda monetária nos primeiros tempos. Depois, se querem ter independência, tentarão procurar trabalho, cá. Os empregadores, sabendo que a pessoa que está a solicitar trabalho é síria (ou algo semelhante geograficamente) contratá-la-ão? Uma minoria poderá fazê-lo, mas a maioria não.
Assim sucessivamente, muitos deles poderão nunca encontrar algum emprego decente.

Já pensaram que somos nós que - ao fazermos o que descrevi - estamos a alimentar o preconceito e ideias incorretas?

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Hoje a Maria Leal aqui só p'ra ti


Tenho que dizer que adorei a Dança do Pombo do início e estes sensualíssimos passos de dança.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

OMD! "Doutor Sono" vai ser publicado em Portugal

Hoje o meu autor preferido, Stephen King, faz anos (parabéns), mas quem teve uma boa notícia fui eu. Lembram-se do The Shining, de SK? Bem, o livro foi publicado 2 vezes em Portugal, se não estou em erro, uma pelo Circulo de Leitores, e outra pela Biblioteca Sábado. Atualmente, nenhuma delas se vende (que eu saiba), e a editora responsável pelos livros de SK em Portugal é a Bertrand Editora.
Bem, comecei a ler finalmente o The Shining A Luz sexta feira, e hoje, quando vou ao site da Bertrand, deparo-me com isto: http://www.bertrand.pt/ficha/doutor-sono?id=17236532

Epá! Estou mesmo feliz! Estava a pensar comprar o livro em inglês, mas sendo assim...
(a capa é tão gira! (mas a da Hodder é mais))


Eu fiquei radiante com esta notícia. Agora deveriam publicar o The Shining, porque é estúpido publicaram um segundo livro sem publicaram o primeiro (isso aconteceu com a saga A Torre Negra, de Stephen King, também).

E vocês? Já leram alguma coisa de Stephen King? Se ainda não, eu recomendo-o vivamente aos amantes de literatura de terror e fantasia, principalmente.

sábado, 17 de setembro de 2016

Antíteses alimentares

Bolachas que reduzem o colesterol e os diabetes.
Uma das melhores piadas que já vi.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

A curiosidade mórbida

Ontem, por volta da 16 horas, a cerca de 7,5 quilómetros do sítio onde moro, começou um incêndio.
Ora, quando se vê um incêndio, qual é a primeira coisa que se faz, depois de se telefonar ao 112? O quê? Ajudar utilmente, foi o que disseram? Errado. A primeira coisa que se faz é fotografar e ficar lá especado, em pé, lamentando-se.

Por volta das 16h30, começava-se a ver - de minha casa - fumo espesso e negro no céu.
Durante o resto da tarde, até, sensivelmente, às 19h40, os trânsito manteve-se normal, mas depois disso, tudo o que era carro, mota, motorizada, moto 4 e pessoas se começaram a dirigir ao dito local (a sério, quem é que vai andar mais de 7/8km para ver um incêndio?). Da parte de trás de minha casa, não se via o fogo, apenas aquele imenso clarão cor de laranja no céu, e claro, o fumo.

A partir daí, tudo começou a piorar - a nível de trânsito. Passaram ainda mais carros, motos e algumas pessoas começavam a aglomerar-se na estrada (a cerca de 1 km daqui). Iam e vinham, também (e felizmente) carros dos bombeiros.

Vieram as 22h00, e o trânsito não parava. VrrruuuuummmmmVrrruuuuummmmm...
Chegaram as 23h00, o barulho era o mesmo.
Fui para a cama, a ver se adormecia, por volta das 23h30/40. Era 01h30 da manhã, estava eu ainda acordado, atormentado por barulho infernal dos automóveis e do raio, o que me deu uma enorme vontade de gritar pela janela "Vaiam para o caralho! Nunca viram um incêndio? Eu não e nem quero. Ajudem-nos em vez de ficarem especados!". Uns minutos depois, finalmente adormeci.

Levantei-me hoje de manhã e vi um fumo esbranquiçado que parecia nevoeiro (claramente que não era, pela espessura e cheiro), que passou umas horas depois... Disseram-me que o CMTV esteve lá, no dito incêndio, e fui verificar ao site. Estiveram, e as fotos provam aquilo que eu já sabia. Havia pessoas a tirarem fotografias ao lindo incêndio e outras lá, especadas, a atrapalhar e sem fazerem nada.

É este o comportamento de uma parte do país, quando há qualquer coisa fora do comum.